Roseana quer Madeira e Ildon juntos

Politicamente, a viagem da governadora Roseana Sarney semana passada à região tocantina foi um "espalha peças" no quebra-cabeças que o prefeito Sebastião Madeira tenta montar para 2014, e sua sucessão, em 2016.

A aproximação que a governadora intermediou entre o ex-prefeito Ildon Marques e Madeira deixou este último sem trunfos na manga, no dizer de um assessor do prefeito tucano.

Roseana praticamente obrigou Madeira a ligar pessoalmente para Ildon o convidando a fazer parte da comitiva oficial da governadora em eventos nos municípios visitados. É o que comentam nos bastidores.

A situação pegou o atual prefeito de calças curtas. O deputado Chiquinho Escórcio, candidato de Madeira, não compareceu aos eventos. Durante meses, Chiquinho bateu no peito que era o pai da criança, ou melhor, do veículo adquirido com recursos do Estado para o Corpo de Bombeiros de Imperatriz. Quem faturou, no final, foi o deputado estadual Léo Cunha. No discurso durante entrega do carro dos Bombeiros, Roseana nem citou o nome do protegido de sua família. Só lembrou durante aparte que fez no discurso de Madeira, que elogiou Chiquinho pelo apoio que vem dando à sua administração, principalmente na área de saúde.

A estratégia de Roseana foi manter Chiquinho bem distante, enquanto articulava a aproximação dos dois adversários. Já dizem até que Ildon será o candidato de Madeira a deputado federal.

Por detrás da cortina, Roseana não quer saber de brigas entre aliados, porque sabe que a eleição de seu candidato, Luís Fernando Silva, é missão dificílima.

Madeira não sabe agora como honrar seu compromisso com Chiquinho. Esse é apenas um dos vários obstáculos ao projeto político do prefeito.

Sem candidato dentro de seu grupo para 2016, Madeira nem sonha com a derrocada da pré-candidatura de Luís Fernando. Estremecido nas relação com Lobão, uma candidatura do ministro das Minas e Energia colocaria Madeira na geladeira. Outro que não que nem ouvir falar nisso é o presidente da Câmara de Vereadores, Hamilton Miranda, aliado de Chiquinho e de Luís Fernando, que tenta viabilizar sua candidatura a prefeito.

A visita também foi péssima para Roseana, como comemoram os adversários. Sobrou crianças, levadas em ônibus, e os poucos e mesmos aliados de sempre, mas faltou o povo nas solenidades. Prova de que nem ela, nem seu candidato Luís Fernando, conseguem empolgar o eleitor na região tocantina.

Quem não tem nada a ver com isso, é o ex-prefeito Ildon, que deixou o PMDB e deve ingressar num partido da base aliada da governadora. Por enquanto, conseguiram acalmar o Asa Branca. Até quando?

A Doutora Sorriso

Rosângela concede entrevista ao jornalista Paulo Negrão, em foto de A, Pinheiro
Ela chegou como um furacão. Na manhã da última terça-feira 24 ofuscou a tediosa sessão da Câmara de Vereadores. Logo que entrou no salão principal do prédio da Casa, foi rodeada por funcionários, assessores e eleitores. Distribuiu apertos de mãos, abraços, beijinhos. E disparou a falar nas entrevistas: sobre o governo Madeira, a atuação dos vereadores, a situação da saúde municipal, a dificuldade dos deputados oposicionistas em verem suas emendas para Imperatriz serem contempladas pelo Palácio dos Leões.

Rosângela Curado voltou à cena política nessa semana bem ao seu estilo: agitada, falante, pregadora, e audaciosa.

Não confima nem desmente sua candidatura a deputada federal. Nem se almeja a vaga de vice na chapa de Flávio Dino (PCdoB).

Neste sábado, com a presença do presidente da Embratur, ela e mais cerca de trezentos seguidores ingressam oficialmente nas fileiras do PDT, em evento inserido na programa da Convenção Municipal do PCdoB, na AABB.

Rosângela se vê num dilema político: não tem dinheiro para uma campanha desgastante e imprevísivel de deputada federal. Segundo analistas e interlocutores da ex-candidata a prefeita, o melhor caminho seria coordenar a campanha de Flávio Dino na região, ou ser vice do comunista - neste caso, mesmo com um revés nas urnas não teria tantos arranhões políticos e sedimentaria sua pré-candidatura a prefeita para 2016, o seu Plano A, em cujo desfecho vislumbra uma vitória histórica.

A Doutora Sorriso está de volta. Desta vez, nas fileiras da oposição ao governo Roseana.

Weverton Rocha comanda encontro do PDT em Imperatriz

Weverton Rocha (ao centro de camisa preta) com um grupo de vereadores de Imperatriz Pré-candidato ao Senado, o deputado federal Wev...